My PlayList

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Ah essa Tristeza - Por Adriana Lordelo


Tristeza que invade minha alma,toma conta do meu ser.
Profundo estado de lagrimas que rolam pelo rosto, caem sobre o lençol branco,iluminado pela luz do dia que penetra através da janela do meu quarto.
Qual a cura para minha tristeza que contamina o meu dia?.
Sem forças, angustiada,eu estou. não consigo me libertar desse sentimento,que me coroe.
O dia chega ao fim, a noite cae, as lagrimas secaram. 
a tristeza continua! 
E tudo faltou ser,acontecer algo que me tirasse desse estado e me fizesse voltar a sorrir.
...Amanha será outro dia, eu tenho a eternidade aqui comigo.
                                     Adriana Lordelo.





É mais fácil
Cultuar os mortos
Que os vivos
Mais fácil viver
De sombras que de sóis
É mais fácil
Mimeografar o passado
Que imprimir o futuro...(Minha Casa - Zeca Baleiro) 


quarta-feira, 25 de abril de 2012

Nada Sei - Por Adriana Lordelo

Em silencio.
Por mais que tenha vivido meus quase 42 anos, "Nada sei" de mim,das pessoas, dos lugares,dos meus amores da minha vida.
Como será meu dia,como vai terminar e como vai acontecer tudo novamente?.
Perguntas e duvidas que a vezes causam as dores, as tristezas que aparecem o tempo todo, do nada.
Penetrando nas minhas regiões lúdicas. invocando sentimentos, tentando disfarçar a minha absoluta duvida.
De nada. sei de nada...vou vivendo.

                                                      Adriana Lordelo.



Nada sei dessa vida
Vivo sem saber
Nunca soube, nada saberei
Sigo sem saber...(Kid Abelha)





quinta-feira, 19 de abril de 2012

A espera ...dos 42 anos!



                                 


 A espera dos meus 42 anos...
escrever,ler,sobre mim, algumas vezes é assustador.
outras é prazeroso.
o que eu quero da vida?.Quero mais que planos.
Quero ações que tornem os planos ainda que a longo prazo realizáveis.
Quero viver a vida aos 42 anos e mais 42 anos
se for possível. 

                                                                     Adriana  Lordelo



quinta-feira, 12 de abril de 2012

Por - Martha Medeiros

Cazuza ainda dizia, lá no meio dos versos, que pega mal sofrer. Pois é, pega mal.Melhor sair pra balada, melhor forçar um sorriso, melhor dizer que está tudo bem, melhor desamarrar a cara.“Não quero te ver triste assim”, sussurrava Roberto Carlos em meio a outra música.
Todos cantam a tristeza, mas poucos a enfrentam, de fato.
Os esforços não são para compreendê-la, e, sim, para disfarçá-la, sufocá-la. Ela que, humilde, só quer usufruir do seu direito de existir, de assegurar seu espaço nesta sociedade que exalta apenas o oba-oba e a verborragia, e que desconfia de quem está calado demais. Claro que é melhor ser alegre que ser triste (agora é Vinícius), mas melhor mesmo é ninguém privar você de sentir o que for. Em tempo: na maioria das vezes,é a gente mesmo que não se permite estar alguns degraus abaixo da euforia.

— Martha Medeiros.




quarta-feira, 11 de abril de 2012

Sou.!









"Porque eu sou isso que você vê: sou mais sentimento que razão,sou mais grito que sussurro, sou mais pé na nuvem do que no chão.
— Clarissa Corrêa.

domingo, 1 de abril de 2012

Assinado Eu - Tiê



Já faz um tempo
Que eu queria te escrever um som
Passado o passado,
Acho que eu mesma esqueci o tom
Mas sinto que eu te devo sempre alguma explicação.
Parece inaceitável a minha decisão.
Eu sei.


Da primeira vez quem sugeriu,
Eu sei, eu sei, fui eu.
Da segunda quem fingiu
Que não estava ali também fui eu.
Mas em toda a história,
É nossa obrigação
Saber seguir em frente,
Seja lá qual direção.
Eu sei.


Tanta afinidade assim, eu sei que só pode ser bom.
Mas se é contrário, é ruim, pesado
E eu não acho bom.
Eu fico esperando o dia que você
Me aceite como amiga,
Ainda vou te convencer.

Eu sei.

Linda Canção!